Redes sociais podem ser aliadas do jornalismo online

O último painel, do 3º Media On, que se encerrou nesta quinta-feira, 29, debateu “O que um jornalista precisa para se integrar as novas mídias”, com o objetivo de entender como as redes sociais impactam o dia-a-dia do o profissional de imprensa e jornalismo. Para discutir o tema foram convidados os jornalistas Tiago Dória, editor de blog sobre cultura, web, tecnologia e mídia hospedado no IG, e também José Roberto de Toledo, da Associação Brasileira de Jornalismo de Investigativo. Além disso, o painel teve como mediador o jornalista Carlos Drummond, que é coordenador do curso de Jornalismo da Facamp, em Campinas.

Dória destacou que o grande diferencial da internet não é a sua velocidade e sim a sua “perenidade”, que o jornalista faz referência às páginas velhas e amareladas dos jornais impressos. Para ele, o mais importante é que todas as notícias publicadas na rede continuam armazenadas e servem como base para novas pesquisas, podendo serem acessadas a qualquer momento em qualquer parte do mundo. “A notícia de ontem passa a ter validade em uma estratégia de comunicação”. Além disso, Dória ressalta que o advento da tecnologia trouxe a possibilidade do conteúdo ser produzido até mesmo com um celular, seja por texto, ou imagens.

Para ele, os mais jovens não precisam se integrar as novas mídias, “eles já nascem integrados”. E o mais importante não é se apegar nas ferramentas para a produção do conteúdo e sim nos conceitos, no que é importante informar ao leitor e qual a melhor maneira de ser compreendido.

Em sua apresentação, José Roberto de Toledo, citou que em meio a tanta velocidade, é importante checar as informações antes de publicá-las. O jornalista deu dicas de como usufruir da melhor maneira das redes como twitter e facebook. Ele acredita que as duas ferramentas são como um termômetro da sociedade brasileira, e considera importante que um jornalista esteja nessas mídias. “O profissional nem precisa se identificar, ou nem mesmo twittar, mas muitas pessoas que são fontes de notícias usam essas ferramentas para divulgar informações que antes não divulgariam”. Porém, ele ressaltou outro cuidado que os jornalistas precisam ter ao usar twitter e afins, o de se tornarem concorrentes das empresas de comunicação em que trabalham. “Se o profissional publica o conteúdo antes do jornal em que atua, então, será um concorrente”. Toledo acredita que mais importante do que ter milhões de seguidores, é ter clientes (seguidores) importantes, que retransmitam e dêem peso à informação postada na rede.

O Media On é realizado por meio de uma parceria entre o Portal Terra e o Itaú Cultural com o apoio da BBC Brasil e da CNN. O objetivo é debater os rumos das atividades e a tendência da informação no mundo digital.

Fonte: M&Monline

Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: